O seu navegador necessita de suporte Javascript para esta funcionalidade. Museu Nacional do Teatro e da Dança - Colecções
18 de Novembro de 2017
Utilize as teclas de atalho Alt+2 para navegar para a área de pesquisa do sítio web.
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.

Colecções

O acervo total do Museu, que foi constituído a partir do zero, integra, actualmente, cerca de 250.000 espécies. É importante referir, desde já, que este crescimento exponencial das colecções do Museu em apenas cerca de duas dezenas de anos se fica a dever, sobretudo e numa percentagem elevada, a uma integração de espólios e de peças através de doações.

A organização das colecções que constituem o acervo do Museu do Teatro teve em conta, antes de tudo, três aspectos fundamentais:
1. Objectos, materiais e documentos úteis para o conhecimento da prática teatral, quer os oriundos da prática teatral propriamente dita (o texto, as maquetas de cenário, os trajos de cena e os adereços, as folhas de música) ou que reflectem essa prática ( gravuras, fotografias, registos sonoros ou de imagem em movimento, programas, cartazes, recortes de imprensa)
2. Objectos, materiais e documentos úteis à prática teatral ( os espaços de representação e o que deles restou ou que com eles se identifica, os meios técnicos - órgãos de luzes, máquinas de vento)
3. Objectos, materiais e documentos úteis ao conhecimento de certos aspectos da prática teatral (fotografias individuais, arquivos correntes de companhias e teatros, tabelas, diplomas, carteiras profissionais, prémios, etc.)

Outros pressupostos, mais de ordem teórica ou metodológica são também objecto permanente de reflexão e de prática, nomeadamente:

- reconhecimento da especificidade artística do Teatro e das restantes artes do espectáculo, entendendo, nomeadamente, que a sua permanente relação com as outras artes é livre e independente (a título de exemplo, a história do teatro não é a história da literatura dramática nem pode ser reduzida à crítica literária);

- reconhecimento da natureza espectacular do teatro, transformando em campos de estudo e investigação todos os meios de expressão cénica: a arquitectura, a encenação, a cenografia, os adereços, a maquinaria de cena, os trajos, as luzes, a música;

- reconhecimento da necessidade de recorrer aos objectos originais (maquetas de cenário e arquitectura, trajos, figurinos) e aos documentos (fotografias, cartazes, programas, bilhetes).

- A evolução do teatro está intimamente ligada à das outras artes, à mutação das ideias, dos sentimentos, ao meio social.

- O teatro contém em si todos os meios de expressão artística: a literatura, a música, a dança, as artes plásticas, a arquitectura. Estes meios utilizados pelos criadores teatrais e, frequentemente, por artistas de outras artes fazem do teatro uma arte de transposição.

- A criação de um espectáculo teatral resulta, sempre, de um trabalho colectivo.

- O teatro só se realiza quando se dirige a um público reunido num determinado espaço onde vai decorrer a acção.

- A representação teatral é perpetuamente renovada, variando de uma representação para outra, de um intérprete para outro, de uma época a outra, de um público a outro.

- A complexidade orgânica dos elementos que constituem um espectáculo teatral ressurge através dos materiais, documentos e objectos que lhe sobrevivem. 



Através da base de dados MatrizNet é possível aceder á imagem e descrição de algumas peças que fazem parte da colecção deste Museu.

Logotipo do MatrizNet

  • Recomende este sítio web