A realidade teatral que se viveu no tempo em que Almeida Garrett era Inspector Geral dos Teatros, em que o Conservatório Real começou a funcionar e em que se edificou o Teatro Nacional D. Maria II é o assunto principal deste livro, procurando dar resposta a perguntas aparentemente tão simples como : 'A que assistiam os espectadores quando compravam um bilhete no Teatro da Rua dos Condes ou mesmo no Teatro D. Maria II?'; 'Como se desenrolava então uma noite de teatro?'; 'Quem escolhia as peças representadas?'; 'Eram sujeitas a algum tipo de censura?'; 'A quem pertenciam as companhias de teatro?'; ou ainda 'Seriam os actores profissionais daquele ofício?'...Tentando satisfazer estas e outras curiosidades, destina-se a presente publicação não só a todos os que se interessam pelas viviências, sobretudo sociais, da Lisboa oitocentista, mas igualmente àqueles que sentem um carinho especial pela 'arte de Tália'.