Trajos para A Castro, de António Ferreira,
Encenação de Ricardo Pais
figurinos| António Lagarto, 2003
Teatro Nacional São João, Porto


Assim em dois núcleos, um no Museu Nacional do Teatro e da Dança e um outro no Museu Nacional do Traje, são apresentados figurinos de autoria de António Lagarto, Bernardo Monteiro, Filipe Faísca ou Nuno Carinhas, entre outros, fotografias de cena, sinopses da conceção plástica dos figurinos, desenhos e projeção de teasers.
No MNTD é dado um destaque especial à personagem Alma, do Auto da Alma de Gil Vicente, que está representada com dois trajos que espelham duas conceções plásticas e duas épocas distintas: um trajo, imaginado e desenhado por Almada Negreiros, datado de 1965, concebido para as Comemorações do V Centenário de Gil Vicente, levado à cena no Teatro Nacional de São Carlos (coleção do Museu Nacional do Teatro e da Dança) e um outro, contemporâneo, da coleção do Teatro Nacional de São João, com figurino de Nuno Carinhas, que também encenou a peça, em 2012.

A exposição resulta de uma parceria entre o Museu Nacional do Traje, o Museu Nacional do Teatro e da Dança, o Teatro Nacional de São João e a Escola Superior de Arte e Design/ESAD, de Matosinhos.
Actualizado em: 17 de Novembro de 2017
  • Recomende este sítio web