Era uma vez qualquer coisa ...

Abrem-se as portas deste
Jardim de Pandora.

E, como se fossem aras,
cataventos ou cupidos
fantasiados, perdem-se
nossos olhos extasiados,
suspensos em estendais de águas.

Aqui também podem
aparecer anjos, suicidando-se
ou apanhando pássaros, em
gaiolas suspensas na nossa
imaginação, como se fossem meninos chorando.

Num velho tronco cortado
mas renascido ou em
cemitérios aéreos, as
surpresas sucedem-se e, por
uma porta entreaberta,
vislumbramos estupefactos o
circo da vida.

José António Rousseau

Cupidínio 1. Cupidínio - José Carlos Barros (Cenógrafo) / Catarina Alves (Escultora)  


2. Reflexo do Tempo - João Barros (Ceramista )
    Suplício sobre o caos contemporâneo.


 3. Anti-natura -Cláudio Morais Sarmento Artista plástico)
    Nem tudo o que parece é.  
    E se as leis da Natureza forem subvertidas ?
    Como seria se a lei da gravidade fosse temporariamente suspensa?


Estendal d'águas4. Estendal d' águas- Francisco Rousseau (Pintor)
    Muitas águas estendidas ao sol dos nossos olhos,águas engarrafadas nos subterrâneos do céu, caídas por vezes sob a forma de chuva, por vezes sob a forma de mares, rios ou lagos.
    Bentas, doces ou santas, de arroz, de rosas,ou das pedras, ardentes ou correntes, é igual, por vezes vivas, por vezes mortas, tanto faz.


Fotografia5. Fotografia - Fernanda Carvalho (Fotógrafa)
    Já nem os anjos nos protegem ... também eles estão desesperados. 
    (Modelo: Eunice Correia)

6. Teatro de Ninhos- Paula Rousseu (Artista plástica)
    Como gotas teatrais,penduradas numa sinfoniade pássaros adormecidos em ninhos, esquecidos e estranhos.
    Serão frutos ?
    Serão gritos?
    Ou só ramos ?

7. Nascente de Lágrimas - Ana Cassiano (Pintora)
    Um choro inocente quanto pueril, inunda o espaço das emoções, transbordando e fecundando a avidez de compaixão.


8. Elo Quebrado- Alberto Simões de Almeida (Escultor)
       A cidade é armadilha que nos torna reféns, quebrando o elo das raizes ancestrais que nos ligavam à terra, ànatureza, aos prazeres simples do cheiro a terra molhada.    


9. Terminus - José Carlos Barros (Cenógrafo)
    Fim, à sombra do Alperceiro!


A Girafa10. A Girafa - Catarina Alves (Escultora)  
    Espreitando o jardim.