2001

"o Teatro foi sempre a minha vida e a minha morte"


Mário Viegas foi, provavelmente, o actor da sua geração que melhor compreendeu a importância, do ponto de vista patrimonial, da existência de um Museu do Teatro, como grande guardador de memórias de uma arte que é, por natureza efémera.

Fotografia de Mário Viegas no espectáculo 'Baal', Teatro Nacional D. Maria II, 1980Fotografia de Mário Viegas no espectáculo 'Deus os fez, Deus os juntou', Teatro da Comuna, 1988 (pormenor)


Projectada e concebida a partir do valioso espólio artístico do actor Mário Viegas (1948/1996), por ele doado ainda em vida ao Museu Nacional do Teatro ("Oferta ao Museu do Teatro...") escrevia, quase sempre a vermelho, em tudo aquilo que ia entregando, a que se juntam outros objectos e documentos de natureza mais pessoal, temporariamente cedidos pela família, a exposição "Um Rapaz Chamado Mário Viegas" não é uma homenagem póstuma. Pretende antes, relembrar este "comediante na vida e no palco" junto do público, divulgar o seu espólio e perpetuar a sua imagem como homem e como artista.
A ideia da exposição, respeitando aquilo que quis ser e sempre foi em vida, parte do estudo pormenorizado de tudo o que nos deixou (fotografias, cartas, documentos, entrevistas, frases soltas e outros materiais existentes no museu) e da leitura da sua "Auto-Photo Biografia ( não autorizada)".





Deixando-se no tratamento gráfico da imagem, da escrita, das ideias do actor, que enquadram um conjunto de objectos vários, de especial significado em diferentes fases da sua vida.
Desde simples objectos de faiança, até à máquina de escrever, quadros, brinquedos, manuscritos, trajos e adereços de cena, som e imagens em movimento, sem qualquer orientação cronológica ou narrativa biográfica, não é uma exposição de fotografias ou de objectos mas, antes, uma exposição construída a partir desses objectos, cujo efeito pretendido é o envolvimento do público pela personagem e pela vida do Actor, Recitador, Encenador e Cidadão Mário Viegas.




Com a subjectividade própria que envolve a definição de critérios de uma selecção desta natureza, quer quanto aos textos, quer quanto às imagens e objectos utilizados, poderá ter ficado alguém ou algo de fora. Contudo procurou-se a maior consonância possível com as indicações valorativas que ele próprio atribuiu a determinadas fotografias, documentos ou objectos, bem como, em alguns casos, com opções exclusivamente de carácter museológico.